O poder do orgulho nacional

Porque os Russos comemoraram a eleição de Bolsonaro. Entenda.

Lendo sobre o Brasil e a Europa, tive uma memória que remonta dez anos. O artigo que li é um relatório da Associated Press de Porto Velho, sobre os incêndios na Amazônia e a rejeição da ajuda européia pelo novo presidente do Brasil, Bolsonaro. Foi uma rejeição orgulhosa. E isso me fez lembrar de Putin.

Em 2009, ele fez um discurso na reunião anual do Fórum Econômico Mundial em Davos, Suíça. Depois, ele fez algumas perguntas, incluindo Michael Dell, o empresário americano de computadores. A Dell perguntou o que o mundo em geral poderia fazer para ajudar os russos a ficar online. Isso se aplica especialmente aos estudantes. A resposta de Putin foi essencialmente a seguinte:

“Nós não precisamos de nenhuma ajuda. Nós somos um país forte. Os inválidos precisam de ajuda, as crianças pequenas precisam de ajuda, os países em desenvolvimento precisam de ajuda. Nossos especialistas em computadores são tão bons quanto os de qualquer pessoa. . . ”

Os jornalistas russos ao meu redor gritaram de alegria. O orgulho nacional é uma coisa poderosa e poderosa.

Aliás, o discurso formal de Putin naquela ocasião foi um trabalho. Eu sorrio para revisitá-lo hoje. (Escrevi sobre esses assuntos aqui .) Falando na esteira da crise financeira global, Putin disse:

No século 20, a União Soviética tornou absoluto o papel do estado. A longo prazo, isso tornou a economia soviética totalmente não competitiva. Esta lição nos custou caro. Tenho certeza que ninguém quer vê-lo repetido.

Também não devemos fechar os olhos ao fato de que o espírito da livre empresa, incluindo o princípio da responsabilidade pessoal de empresários, investidores e acionistas por suas decisões, está sendo corroído nos últimos meses. Não há razão para acreditar que possamos obter melhores resultados transferindo a responsabilidade para o estado.

E mais um ponto: medidas anti-crise não devem se transformar em populismo financeiro e em uma recusa em implementar políticas macroeconômicas responsáveis. O aumento injustificado do déficit orçamentário e o acúmulo de dívidas públicas são tão destrutivos quanto a aventureira arrecadação de ações.

Siga-nos no Twitter

Este é o Painel DN

O Painel DN é um veículo jornalístico conservador, com a missão de levar ao leitor notícias diárias, análises e comentários sobre os fatos mais relevantes relacionados a assuntos políticos, econômicos, internacionais, sociais e culturais. O jornalismo do Painel DN entende que a transmissão e relato fidedigno dos fatos constituí a missão mais importante da atividade jornalística, já que a opinião pública em qualquer democracia se forma justamente através das notícias.

Newsletter Gratuita

Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita e receba em primeira mão as notícias mais importantes.

Veja nossas  Políticas de Privacidade

Matérias Relacionadas