O aparato militar na ditadura venezuelana

Governo da Venezuela incorpora a milícia como componente das Forças Armadas

As Forças Armadas estão estruturadas como Exército, Marinha, Aviação e Guarda Nacional, e agora terá a Milícia, o corpo de civis voluntários que Maduro assegura que ajudará na “defesa” do território.

Hugo Chávez criou a milícia em 2008 como um complemento às Forças Armadas e dependente da Presidência, mas uma modificação legal recentemente autorizada pela Assembleia Constituinte, sob o controle do partido no poder, confere a esse órgão uma classificação maior.

A emenda da lei, divulgada no Diário Oficial de 30 de janeiro – que não foi publicada, mas foi vista pela agência Reuters – indica que a Milícia terá entre seus poderes “registrar, organizar, equipar, treinar e doutrinar o povo para objeto de contribuir para a segurança da nação”.

Maduro disse em janeiro que já existem 3,7 milhões de milicianos, o que compara com cerca de 150.000 soldados do restante dos componentes das Forças Armadas.

“A milícia é o braço popular e armado do povo e das Forças Armadas. Pronta para todas as batalhas no campo territorial”, acrescentou.

O presidente venezuelano impôs outros poderes à milícia, como a produção de alimentos. Em abril, ele ordenou que esse órgão participasse da atividade agrícola.

A reforma legal também expande as funções do comando operacional estratégico e incorpora a organização do sistema de justiça militar.

Siga-nos no Twitter

Este é o Painel DN

O Painel DN é um veículo jornalístico conservador, com a missão de levar ao leitor notícias diárias, análises e comentários sobre os fatos mais relevantes relacionados a assuntos políticos, econômicos, internacionais, sociais e culturais. O jornalismo do Painel DN entende que a transmissão e relato fidedigno dos fatos constituí a missão mais importante da atividade jornalística, já que a opinião pública em qualquer democracia se forma justamente através das notícias.

Newsletter Gratuita

Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita e receba em primeira mão as notícias mais importantes.

Veja nossas  Políticas de Privacidade

Matérias Relacionadas