Moisés mantém foco em projetos de infraestrutura

Governador afirma que Santa Catarina tentará retomar a nota de crédito para lançar novas obras

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (foto), tem claro qual será sua prioridade em 2020 e, também, o principal obstáculo a ser superado. “Nossa crença é que uma infraestrutura de qualidade traz mais recursos para que as outras áreas se desenvolvam plenamente. Infelizmente, Santa Catarina ainda está com nota C junto ao Tesouro Nacional, o que dificulta a obtenção de financiamentos”, diz Moisés. Embora esteja conseguindo retomar investimentos com recursos próprios do Estado, o governo catarinense está convencido de que é preciso contar com outras fontes de recursos. “Nossa equipe está trabalhando para retomar a nota de crédito e, assim, lançar novas obras”, revelou o governador ao Portal AMANHÃ, que a partir desta quinta-feira (5) apresenta uma série sobre perspectivas e balanço do primeiro ano de mandato dos três governadores da região Sul.

Até a eclosão do coronavírus e a carga de incertezas que trouxe para a economia de todos os países, Moisés sustentava um otimismo com a retomada do Brasil e de Santa Catarina, acreditando que o melhor estaria por vir a partir da base criada no ano passado. “Santa Catarina gerou 71,4 mil empregos formais em 2019. Foi o nosso melhor resultado em nove anos. Isso indica uma recuperação mais consistente da nossa economia. No ano passado, crescemos quase três vezes mais que a média do país. Nossa arrecadação subiu quase na casa dos dois dígitos, o que nos permitiu ter algum fôlego”, destaca. Ele também lembra que no começo do ano passado o déficit financeiro previsto estava em R$ 2,5 bilhões e foi reduzido para R$ 1 bilhão. Já a previsão para 2020 é chegar próximo do equilíbrio. “Também voltamos, depois de muitos anos, a ficar abaixo do limite prudencial com a folha de pagamento. Hoje nosso número está em 45,75%, sendo que em 2017 já chegou a ultrapassar até mesmo 49%, o limite máximo”, conta. 

“Tudo isso nos permitiu garantir recursos próprios para investimento e ainda manter a folha de pagamento dos servidores em dia. Também lançamos programas importantes, que vão marcar a nossa gestão, como é o caso do Recuperar, uma parceria com as associações de municípios para a manutenção das rodovias estaduais, e o Novos Rumos, que define obras prioritárias para o desenvolvimento das regiões. Ainda na área da Infraestrutura, tivemos a reabertura da Ponte Hercílio Luz, uma obra aguardada há décadas”, enfatiza Moisés. 

A tecnologia é outra ponta de lança escolhida pela gestão de Moisés. “Utilizar a tecnologia representa mais transparência, agilidade e economia para a máquina pública”, entende. No primeiro ano foram implementados serviços como o Governo Sem Papel, que informatizou todos os processos internos do estado; foi lançado um novo aplicativo de abastecimento para a frota de veículos oficiais e ainda um aplicativo para o transporte de servidores. Nos cálculos do governador, essas e outras medidas permitiram uma economia de R$ 61 milhões no ano passado. “Também estamos revendo contratos para melhorar o uso do dinheiro público. Apenas com serviços terceirizados, a redução de gastos ultrapassou R$ 10 milhões no ano passado”, pontua.   

O governador destaca ainda a criação do Colegiado Superior, que elimina a figura do secretário de Estado de Segurança Pública. O conselho é formado por membros da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Instituto Geral de Perícias (IGP) e por um diretor geral. O preenchimento do cargo de secretário da pasta segue um sistema de rodízio anual que contempla a Polícia Civil em 2020, o Corpo de Bombeiros em 2021 e o IGP em 2022. A formatação do grupo se refletiu na queda dos índices de criminalidade, com 10,3% de redução no número de homicídios no ano passado frente a 2018 e de 34% em latrocínios – tendência que está se mantendo no começo deste ano. 

Na área da saúde, além do pagamento de dívidas, Carlos Moisés procurou dar forma ao que chama de política hospitalar catarinense. “A partir de agora, os hospitais filantrópicos terão critérios definidos para receber recursos do Estado.” Em Educação, o foco foi o programa “Minha Nova Escola”, que investe em melhorias nos estabelecimentos da rede estadual de ensino. Um ponto que Moisés enfatiza junto a sua equipe de governo – que aliás foi mantida para o segundo ano de mandato – é o pagamento de convênios com municípios, tenham ou não sido firmados na atual gestão. “Estamos honrando todos [os convênios firmados pelos governos anteriores] independentemente do partido do prefeito, sem qualquer distinção.” 

Siga-nos no Twitter

Este é o Painel DN

O Painel DN é um veículo jornalístico conservador, com a missão de levar ao leitor notícias diárias, análises e comentários sobre os fatos mais relevantes relacionados a assuntos políticos, econômicos, internacionais, sociais e culturais. O jornalismo do Painel DN entende que a transmissão e relato fidedigno dos fatos constituí a missão mais importante da atividade jornalística, já que a opinião pública em qualquer democracia se forma justamente através das notícias.

Newsletter Gratuita

Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita e receba em primeira mão as notícias mais importantes.

Veja nossas  Políticas de Privacidade

Matérias Relacionadas