Como Guaidó pode conseguir apoio internacional contra Maduro

Especialista em segurança internacional analisa como o líder da oposição á ditadura venezuelana pode ganhar apoio internacional contra o regime.

O presidente interino e líder da oposição á ditadura na Venezuela, Juan Guaidó, continua sua turnê internacional em busca de alianças para derrotar o regime de Nicolás Maduro. Em sua turnê, ele deve abordar os países que estão realmente “lutando” contra Rússia, China e Irã, os principais amigos do regime. As informações são do Panam Post.

Acho que a batalha para salvar a Venezuela está fora do país”, disse Joseph Humire, especialista em segurança internacional e diretor executivo do Centro para uma Sociedade Livre e Segura:

”Eu acho que as viagens de Guaidó são importantes; Eu acho que ele deveria viajar mais. Sei que ele tem restrições para deixar o país, mas ele já mostrou que pode fazê-lo, e acho que a batalha para salvar a Venezuela está fora do país”.

O analista disse que o presidente interino da Venezuela precisa para ganhar apoio contra o regime ditatorial de Maduro no cenário internacional:

”Existem alguns países que eu acho que são muito importantes, talvez você não os visite desta vez, mas, por exemplo, a Polônia parece ser um país importante para se alinhar com a Venezuela porque tem vários acordos e alianças da Europa como o V4 são contra a Rússia. A Venezuela deve se aliar a Israel no Oriente Médio, porque é contra o Irã, e com Taiwan na Ásia, porque é contra a China.

Humire, especialista em terrorismo internacional e segurança global, acredita que a Venezuela entendeu tarde demais que Nicolás Maduro é um ”fantoche” de países como Rússia, China e Irã e que é necessário atacá-los no campo diplomático:

”A princípio, lembro bem que havia pessoas que disseram que a Rússia não defenderia Maduro na Venezuela, que não enviaria tropas para o país, e que isso provou ser uma mentira. O mesmo acontece no caso da China. Nós fomos muito ingênuos. Esses países trabalham juntos e têm seus próprios projetos hegemônicos.”

Humire explicou porque a Polônia, Taiwan e Israel deveriam ser aliados preferencias que Guaiadó deveria buscar contra o regime de Maduro no campo diplomático internacional.

Segundo Humire, Guaidó deve abordar países os três países que se tornaram os verdadeiros “inimigos” da Rússia, China e Irã, estes por sua vez aliados próximos da ditadura chavista. Além disso, o analista afirmou que a batalha para salvar a Venezuela está ”fora do país”:

No caso da Polônia, Humire destaca o histórico da luta contra o comunismo no país:

”A Polônia faz parte do grupo V4 (Visegrad Group), uma aliança de quatro países: República Tcheca, Hungria, Eslováquia e Polônia, em questões econômicas, de segurança e defesa. Esses países estão travando uma batalha feroz contra a Rússia. Eles estão construindo blocos econômicos contra a Rússia além da União Europeia. Se você quer combater a Rússia, precisa conversar com eles.”

Já em relação a Taiwan, segundo Humire, o país conseguiu combater a China e ganhou sólido apoio na América Latina:

”Taiwan é fascinante porque a América Latina é a única região que deu um apoio real. Países como Guatemala, Honduras e Paraguai preferiram Taiwan a China. Taiwan lutou bem e pode ser um grande aliado”

Sobre uma proximidade com Israel em uma aliança contra o regime de Maduro, Humire destaca que a aliança poderia se dar principalmente porque Israel possuí conflitos com o Irã, um país aliado à ditadura venezuelana.

”Israel é o único país democrático no Oriente Médio. É o único país que conseguiu neutralizar os avanços do Irã em muitos aspectos, e também tem grande influência no México.”

Mais sobre: Venezuela, Juan Guaidó, Nicolás Maduro.

Siga-nos no Twitter

Este é o Painel DN

O Painel DN é um veículo jornalístico conservador, com a missão de levar ao leitor notícias diárias, análises e comentários sobre os fatos mais relevantes relacionados a assuntos políticos, econômicos, internacionais, sociais e culturais. O jornalismo do Painel DN entende que a transmissão e relato fidedigno dos fatos constituí a missão mais importante da atividade jornalística, já que a opinião pública em qualquer democracia se forma justamente através das notícias.

Newsletter Gratuita

Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita e receba em primeira mão as notícias mais importantes.

Veja nossas  Políticas de Privacidade

Matérias Relacionadas