Não vai para Disney: Com Dilma, Dólar chegou a R$ 4,00 pela primeira vez na história do Brasil

Com o dólar chegando na casa dos R$ 4,40, lulistas-dilmistas-petistas viúvos na internet estão usando a valorização da moeda como artilharia para atacar o Ministro Paulo Guedes e sua equipe econômica(como se algum petista fosse ganhador do Prêmio Nobel de economia), e para passar aquela vergonha de graça no twitter gritando ”volta Dilma”.

A fala de Guedes sobre a alta do dólar e as empregadas domésticas(distorcida e retirada de contexto como era de esperar), provocou o piti dos petistas, que logo passaram a chamar o Ministro de ”elitista” e divagar sobre o imaginário maravilhoso governo Dilma, onde as empregadas domésticas podiam ir para Disney com o dólar ”baixo”.

O blog digital petista, Carta Capital, tentou ”lacrar” com a valorização do dólar, colocando uma manchete afirmando que supostos internautas(leia-se militância petista virtual), diante da alta valorização da moeda, estavam pedindo á volta da nossa grande ex-presidente ”Mandioca Sapiens”.

Ao que parece, os eleitores do PT sofrem de algum tipo de sadomasoquismo, afinal de contas não vejo nenhum brasileiro sequer com saudades do governo que nos entregou uma inflação á 10,67%, PIB retraído á 2%, desemprego explodindo, índices econômicos negativos em praticamente todas as áreas, a maior dívida pública da história do país, prejuízo de mais de 1 trilhão de reais, corrupção gigantesca no governo, rombo bilionário na Petrobrás e tudo isso com direito a saudações á mandioca.

Mas ao que parece não é apenas o sadomasoquismo que atinge os eleitores petistas: a memória curta também. Como diz um ditado muito popular na internet: ”Petista é uma cartomante com alzheimer. Sabe tudo sobre os próximos quatro anos mas não se lembra de nada dos últimos 13 anos’‘.

Na realidade nem precisamos voltar tantos anos atrás para desmascarar essa narrativa falseada. Em 2015, penúltimo ano do desastroso governo Dilma, o valor do dólar disparou sem parar e foi justamente no ano em questão que a moeda americana atingiu pela primeira vez na história do Brasil á marca dos R$ 4,00, e não no governo Bolsonaro como os petistas falsamente dizem.

O dólar subiu 48,49% sobre o real em 2015, considerando a cotação de fechamento de 30 de dezembro de 2014, de R$ 2,6587. Em 2015 essa havia sido a maior alta anual desde 2002, quando o dólar subiu mais de 50% no ano por incertezas do mercado envolvendo a eleição do ex-presidente condenado Luiz Inácio Lula da Silva.

Variação anual do dólar
2008alta de 31,9%
2009queda de 25,5%
2010queda de 4,1%
2011alta de 12,6%
2012alta de 8,9%
2013alta de 15,3%
2014alta de 12,78%
2015alta de 48,49%

Em 2014, a alta anual havia sido de 12,78%. Já em 2013, a valorização anual foi de 15,3% – na ocasião a maior desde 2008. O dólar começou 2015 abaixo dos R$ 3,00, mas rapidamente passou esse patamar na cotação de fechamento pela primeira vez em 5 março de 2015, quando terminou a sessão cotado a R$ 3,0115. Na ocasião, foi a primeira vez que o dólar fechou acima de R$ 3,00 desde 2004.

Em setembro de 2015, o dólar fechou acima do patamar de R$ 4,00 no dia 22 de setembro, cotado a R$ 4,0538. Foi a primeira vez que a moeda fechou acima de R$ 4,00 na história do Brasil. Na sessão seguinte, fechou no maior valor da história, a R$ 4,1461. Ao todo, a moeda fechou acima dos R$ 4,00 por seis vezes em 2015.

Ao que parece, na época de Dilma, as empregadas domésticas não estavam indo para Disney á rodo como dizem os petistas para tentar lacrar no twitter contra Guedes. Diante dessas dados, por favor faça seu dever como bom cidadão: esfregue essas informações na cara do seu amigo petista quando este reclamar do dólar á R$ 4,30 e pedir ”volta Dilma”. Os fatos, a Disney e o dólar agradecem.

Siga-nos no Twitter

Este é o Painel DN

O Painel DN é um veículo jornalístico conservador, com a missão de levar ao leitor notícias diárias, análises e comentários sobre os fatos mais relevantes relacionados a assuntos políticos, econômicos, internacionais, sociais e culturais. O jornalismo do Painel DN entende que a transmissão e relato fidedigno dos fatos constituí a missão mais importante da atividade jornalística, já que a opinião pública em qualquer democracia se forma justamente através das notícias.

Newsletter Gratuita

Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita e receba em primeira mão as notícias mais importantes.

Veja nossas  Políticas de Privacidade

Matérias Relacionadas