Allan dos Santos: ”STF, faça o que quiser com meu corpo, mas nunca com minha alma”

Jornalista do Terça Livre se manifestou após ser notificado que era alvo de um inquérito do STF.

O fundador e jornalista do site Terça Livre, Allan dos Santos, foi intimado a depor pelo STF (Supremo Tribunal Federal) no âmbito do inquérito das ”fake news”, que apura a disseminação de notícias falsas, acusações caluniosas e ameaças contra os ministros da Corte. As informações são do Poder 360.

Allan dos Santos havia sido convocado a depor à CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) das Fake News no Congresso Nacional em novembro de 2019. Políticos da oposição apontaram o jornalista como responsável por uma suposta divulgação de notícias falsas atribuídas ao jornalista, mas não conseguiram provar as acusações.

O jornalista também afirmou na CPMI que nunca foi renumerado por fazer postagens de apoio ao presidente da República Jair Bolsonaro, a quem apoia.

Agora ele é alvo de um inquérito do STF, aberto em 14 de março pelo Ministro Dias Toffoli. O inquérito foi feito sem um pedido do MPF (Ministério Público Federal). Por conta disso, o inquérito foi alvo de críticas de associações de procuradores e chegou a ter o arquivamento defendido pela ex-procuradora-geral da República, Raquel Dodge. No entanto, o relator do caso, o Ministro Alexandre de Moraes, negou o pedido do arquivamento.

Assim que comunicado da intimação, o jornalista Allan dos Santos criticou á postura da Suprema-Corte. O jornalista publicou em sua conta no Twitter o vídeo em que se manifesta sobre a intimação do STF dizendo:

”STF, faça o que quiser com meu corpo, mas NUNCA com minha alma”.

O dono do Terça Livre teria que prestar depoimento nesta terça-feira(28.01)mas não compareceu, justificando que seus advogados não tiveram acesso aos autos do inquérito do STF:

”Meus advogados não tiveram acesso aos autos e eu não fui. No dia de Santo Tomás de Aquino, resta-me defender e testemunhar a existência das leis nesse país. Não ao Estado de Exceção”.

Allan dos Santos havia publicado em outra postagem no Twitter também criticando o inquérito:

”Oi, dentadura! É você? STF quer que eu vá para um interrogatório sem saber NADA sobre ele. Réu? Testemunha? Meus advogados não conseguem ter acesso aos autos”.

Para o jornalista, o inquérito mostra como o STF funciona como uma ”tribunal de exceção” e que vai acionar seus advogados caso precise denunciar o caso á Comissão da Corte Interamericana de Direitos Humanos:

”O STF funciona como verdadeiro tribunal de exceção. Se o legislativo não agir, meus advogados acionarão a Comissão da Corte Interamericana de Direitos Humanos por violação ao Pacto de São José da Costa Rica”.

O deputado Eduardo Bolsonaro(PSL-SP), criticou a intimação ao jornalista feita pelo STF. Para o deputado, em uma postagem em sua conta no Twitter, a decisão é absurda e reiterou que o advogado de Allan dos Santos não teve acesso ao inquérito:

”Já foi um absurdo o mandado de busca cumprido na casa do @edsonsalomaomc e agora a intimação do @allantercalivre para depor no STF sem que o advogado tenha acesso ao inquérito. Quem é o ditador mesmo? #AllanNoSTFNao”.

Veja mais sobre: STF, Eduardo Bolsonaro.

Siga-nos no Twitter

Este é o Painel DN

O Painel DN é um veículo jornalístico conservador, com a missão de levar ao leitor notícias diárias, análises e comentários sobre os fatos mais relevantes relacionados a assuntos políticos, econômicos, internacionais, sociais e culturais. O jornalismo do Painel DN entende que a transmissão e relato fidedigno dos fatos constituí a missão mais importante da atividade jornalística, já que a opinião pública em qualquer democracia se forma justamente através das notícias.

Newsletter Gratuita

Não perca nenhuma notícia.

Inscreva-se em nossa newsletter gratuita e receba em primeira mão as notícias mais importantes.

Veja nossas  Políticas de Privacidade

Matérias Relacionadas